Make your own free website on Tripod.com








ESTUDIO GARAGE
GRANDES GUITARRISTAS













Home

AGENDA DE SHOWS | FOTOS | LINKS | TECNICAS DE GUITARRA | EFEITOS | HISTORIA DA GUITARRA | GRANDES GUITARRISTAS





GRANDES GUITARRISTAS








































JIMI HENDRIX

HENDRIX


















































JIMI HENDRIX

Jimi Hendrix não foi um músico excepcional no sentido exato da palavra. Autodidata e canhoto, tocava de maneira completamente estranha uma guitarra Fender Stratocaster para destros, com as cordas invertidas. Revolucionou a maneira de tocar guiatarra, desenvolvendo o uso da alavanca e principalmente dos pedais conhecidos como Wha-Wha e o Fuzz. Mais do que isso colocou a figura do guitarrista como principal personagem nas bandas de rock. Seus solos e riffs foram uma das principais raizes para o nascimento do hard rock.

Johnny Allen Hendrix nasceu em Seattle, Washington, em 1942. O seu nome foi posteriormente alterado pelo pai ainda durante a infancia para James Marshall Hendrix. Aos 16 anos começou a tocar violão, participando de um grupo chamado Velvetones. Aos 17 ganhou do pai uma guitarra elétrica e entrou para o grupo Rocking Kings que mais tarde mudaria de nome para Thomas & The Tomcats. Jimi resolveu abandonar a escola e entrar para um batalhão de paraquedismo do exercito, de onde foi logo desligado em virtude de uma fratura no joelho. Sem a escola e não podendo mais seguir carreira no exercito decidiu se dedicar exclusivamente a música, tocando em bares e clubes com o amigo Billy Cox em uma banda chamada King Kasuals. Em 1963 Mudaram-se para New York, onde atuou também como músicos de estudio, gravando e tocando com os Isley Brothers, Jackie Wilson e Sam Cooke.

Em 1965, em uma de tantas apresentações ao vivo como acompanhante de bandas diversas, Jimi chamou a atenção de Little Richard, grande astro e pioneiro do rock and roll dos anos 50. Apesar da excelente recepção por parte do publico e da boa quimica surgida entre o vocalista e guitarrista, o ego imenso de Little Richard não permitiria que um guitarrista talentoso ofuscasse a sua presenca no palco. Com a desculpa de que Hendrix havia perdido o onibus da banda após um show em Nova York, Little Richard o demitiu, felizmente não antes que alguns dos shows houvessem sido devidamente registrados.

Devido a excelente repercussão de suas performances com Little Richard, Jimi consegue um contrato de dois anos com a gravadora Columbia. Rapidamente deixa de ser figurante e monta sua propria banda, Jimmy James and The Blue Flames. O jovem guitarrista canhoto chama a atenção não apenas pelos solos imprevisiveis e de estilo inedito ate a epoca, mas também pela extrema habilidade em tocar a guitarra com os dentes ou nas costas.

Chas Chandler, baixista do grupo The Animals, ouve a banda e se impressiona, pede a Jimi para ser seu empresario e passa a divulgar a banda na Inglaterra. A unica condição de Hendrix foi a de que, chegando a Londres, fosse apresentado a Eric Clapton, no que foi prontamente atendido por Chandler. A admiração entre Hendrix e Clapton foi mutua, apesar dos estilos diferentes. Mitch Mitchell e chamado para ser o baterista da banda, rebatizada de The Jimi Hendrix Experience. Logo gravam tres singles, Hey Joe, Purple Haze e The Wind Cries Mary, seguidos de extensa divulgação em rádios e tvs inglesas. Em abril de 1967 sai o seu primeiro LP, Are You Experienced, um clássico do rock de todos os tempo. Após uma turne como banda de apoio na Europa fazem sua estreia na América no Monterey Pop Festival na California, logo após seguindo em turne americana como banda de abertura dos Monkees.

Ainda em 1967 sai o segundo álbum, Axis Bold as Love, logo seguido por Electric Ladyland (em janeiro de 1968) que continha o hit All Along the Watchtower de Bob Dylan. Segue-se uma fase de muitas participações de Hendrix como músico ou compositor em discos de artistas diversos. A banda Experience e desfeita e Hendrix monta uma nova banda com Mitch Mitchell, Billy Cox, o segundo guitarrista Larry Lee e os percusionistas Juma Sultan e Jerry Velez. O novo nome da banda: Gypsy Sons. Logo Mitch Mitchell seria substituido por Buddy Miles e a banda mudaria de nome para Band of Gypsys.

Em 1970 a banda Experience seria reformulada e lançariam The First Rays of the New Rising Sun, logo depois mudando novamente de nome para Cry Of Love.

Em 18 de setembro de 1970 Jimi Hendrix entrou em coma em um quarto de hotel de Londres, sozinho, sendo encontrado desacordado por uma equipe de paramedicos. A caminho do hospital foi constatada a sua morte em virtude de sufocamento por seu próprio vômito. Existem muitas controversias sobre a real causa da morte, mas provavelmente Hendrix sofreu uma overdose de pilulas tranquilizantes.


GRANDES FRASES


"Se eu pareço livre é porque estou sempre fugindo."
(Jimi hendrix)

"Ver Jimi tocar me destruiu. É dificil ver alguem fazendo o que você sempre quis."
(Pete Twonshend, The Who)

"Meu relacionamento com ele era dificil pois ambos estavamos em busca da mesma coisa. Um jeito selvagem de tocar."
(Jeff Beck)

"Ele tinha pouco a ver com a guitarra tecnicamente falando. O que ele fazia era tocar o espirito da música."
(Robert Fripp, King Crimsom)

"Ver Jimi Hendirx tocar foi a maior experiencia psicodelica que eu tive. Quando ele começou a tocar alguma coisa mudou. As cores mudaram. Tudo mudou."
(Pete Towshend, The Who)

"Eu tocava no New Generation, em Nova Iorque, e toda noite vinham garotos que queriam saber como eu tocava. Jimi sempre ficava na primeira fila."
(B. B. King)

"Ele era um dos meus idolos. Dizem que ele falava muito de mim. Queria te-lo conhecido, porque eu era seu grande fã."
(John Lee Hooker)

"Meu filho começou a tocar guitarra, e me perguntou o que devia ouvir. Eu disse: 'Ouca Hendrix!' Ele viu um show do Jimi na TV. Nesse show, Hendrix disse que aprendeu muito comigo. Meu filho começou, então, a ouvir meus discos!"
(Buddy Guy)

"O que me fez ser guitarrista? Jimi Hendrix. Ele se tornou o meu heroi."
(Yngwie Malmsteen)

"Eu o respeito muito. Para mim, ele ainda esta muito, muito acima de qualquer guitarrista que ja existiu."
(Johnny Winter)

"Para mim, Jimi Hendrix foi o mais profundo guitarrista de Blues. Ele tocava, ao mesmo tempo, triste e alegremente."
(Joe Satriani)

"Ele era Bo Diddley, Muddy Waters e Chuck Berry, todos ao mesmo tempo."
(Stevie Ray Vanghan)

"Seu jeito de tocar era como uma linda danca, livre, uma energia universal transformada em sons atraves da guitarra."
(Eric Johnson)



DISCOGRAFIA



Are You Experienced (1967)
Axis Bold as Love (1968)
Eletric Ladyland (1968)
Smash Hits (1969)
Band Of Gypsys (1970)
Raimbow Birdge (1971)
Cry Of Love (1971)
Hendrix In The Wes (1972)
War Herões (1973)
Chash Landing (1975)
Midnight Lightning (1975)
Essential Jimi Hendrix (1978)
Nine To The Universe (1980)
Jimi Hendrix Concerts (1982)
Kiss The Sky (1984)
Jimi Plays Monterrey (1986)
Johnny B. Goode (1987)
Live At Winterland (1987)
Rádio One (1988)


BB KING

BB KING

B. B. King
O guitarrista de blues-rock que entraria para a historia como B. B. King nasceu Riley B. King, em Itta Bena, vilarejo localizado as margens do delta do rio Mississipi. Nascido no berco do Blues não era de se estranhar que o jovem King se interessasse por música, carreira que era muito mais proveitosa a epoca do que colher algodao, unica alternativa restante. Desde a infancia se interessou por blues, country, gospel e jazz.

O responsavel por introduzir King no mundo artistico foi seu primo Bukka White, guitarrista de blues profissional em Memphis em meados da década de 40. Em pouco tempo B. B. King se mudaria definitivamente para Memphis, passando a se apresentar nas rádios locais e conquistando uma boa audiencia entre os ouvintes negros. Nessas apresentações em rádio (na realidade shows ao vivo transmitidos) ganhou o apelido de Beale Street Blues Boy, mais tarde abreviado para Blues Boy King e finalmente B. B. King.

Em 1949 gravou suas primeiras faixas em vinil. Durante o inicio dos anos 50 foi produzido por ninguém menos que Sam Philips, ate então um produtor mediocre. Em 1951 conseguiu pela primeira vez sucesso nacional nas paradas de r&b com a música Three O'Clock Blues. Aproveitando a boa repercussão montou a banda Beale Streeters (com o vocalista Bobby Bland, o pianista Johnny Ace e o baterista Earl Forest).

Conta a lenda que nesta turne a sua lendaria guitarra Lucille foi batizada. Após arriscar a vida para salvar a guitarra de um incendio em um bar em Arkansas King chegou a conclusão que algo tão importante para ele não podia ficar sem um nome. Ao contrario do que se pensa, porem, Lucille não e apenas uma guitarra, mas varias, que ele trata como uma so.

Durante as ultimas 4 décadas o estilo de King praticamente não mudou. Foi um dos poucos artistas de blues (senão o unico) a conseguir manter-se em evidencia durante tantos anos sem tornar seu som comercial. Continua tocando para plateias pequenas, com a mesma paixão de sempre, simpatico com os fas e respeitado por qualquer guitarrista de blues ou rock que se preze.

No inicio da década de 90 gravou dezenas de músicas em parcerias com músicos (principalmente guitarristas) de sua epoca ou influenciados por ele. Entre outros U2 (com a impagavel When Love Comes to Town), Gary Moore, Vernon Reid, John Lee Hooker. O resultado foi o excelente disco Lucille & Friends.



ERIC CLAPTON

ERIC CLAPTON

Eric Clepton


Eric Clapton nasceu em Ripley, Inglaterra, em 30 de marco de 1945. A paixão pelo Rythm & Blues de artistas como Robert Johnson e Muddy Watters o levou a desde cedo aprender a tocar guitarra e participar de todas as bandas que pudesse.

Expulso da escola de artes por rebeldia, aprendeu a tocar em pubs e pequenos shows. Se juntou aos Yardbirds, banda inglesa de grande influencia que teve o merito de reunir tres dos maiores guitarristas de todos os tempos em sua formação: Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page (que mais tarde formaria o Led Zeppelin).

Abandonou os Yardbirds em 1966 e após duas passagens pelos Bluesbreakers (da qual saiu por não suportar a rigidez de J. Mayall) formou, juntamente com o baterista Ginger Baker e o baixista Jack Bruce, a banda Cream, que gravou tres álbuns e se desfez por diferenas músicais após menos de dois anos de carreira muito produtiva.

Com o fim do Cream Clapton se tornou músico de estudio, gravando um disco solo e tendo uma rapida passagem pela banda Blind Faith com quem gravou um unico disco. Entre outras participações especiais gravou com os Beatles o solo de guitarra da música While My Guitar Gently Weeps. A sua ligação com os Beatles porem infelizmente não se resumiu a sua participação em algumas músicas; durante anos manteve um relacionamento mais do que amigavel com Patty Boyd, esposa de George Harrison, num triangulo amoroso que durou anos, a inicio as escondidas e depois abertamente, o que incrivelmente não abalou a amizade entre os guitarristas.

Juntamente com dissidentes da banda Delanie and Bonnie and Friends (que abria shows para o Blind Faith), Clapton montou a banda Derek and The Dominos, com quem lanou um de seus maiores sucessos, a música Layla, abertamente dedicada a esposa de George Harrison. Participou da banda Duane Allman (que mais tarde fundaria os Allman Brothers).

No inicio da década de 70 os problemas pessoais e conflitos emocionais levaram Clapton a uma dificil fase de vicio em heroina, que o levaria ao ostracismo durante alguns anos. A volta ocorreu em 1974 com a inesperada I Shot The Sheriff, um reggae (Clapton foi o responsavel pelo lançamento para as paradas mundiais de Bob Marley). A boa fase músical rendeu também o clássico Cocaine em 1978. Durante a década de 80 a aceitação por parte do publico foi crescente.

Em 1990 Clapton ganhou seu primeiro Grammy com a música Bad Love. Sua fama aumentava ainda como compositor de excelentes trilhas sonoras para filmes (entre outras Rush).

Em 1992 ironicamente alcançou o maior sucesso de sua carreira com a música Tears In Heaven, dedicada ao filho morto aos 4 anos (ao cair da janela do apartamento da namorada de Clapton). O disco acústico contendo a música e regravações de outros clássicos foi um sucesso absoluto e ganhou dezenas de premios, inclusive seis Grammys. O disco Unplugged marcou ainda uma volta de Clapton as suas raizes de blues, confirmada com o álbum From The Craddle, apenas de canções tradicionais, um tributo aos clássicos que influenciaram o seu estilo.

Eric Clapton considerado um dos mais perfeitos guitarristas da historia, tocando com extrema tecnica e sentimento, alem de um estilo inconfundvel. No auge da adoração de seus fas na década de 70 uma pixação em um muro de Londres resumia o fascinio que sua música exercia: "Clapton Is God".


GRANDE FRASES



"A unica educação músical que tive foi descobrir sobre o blues. Quer dizer, eu queria saber tudo."
(Eric Clapton)

"Se você quiser tocar rock and roll você terminara tocando como Chuck, ou baseado em algo que você aprendeu com Chuck, porque não existe outra escolha. Ele realmente pavimentou o caminho."
(Eric Clapton)

"Sexo - quando e bom e bom demais, quando e ruim ainda e bom - ouvir Eric Clapton e mais ou menos assim."
(Tom McGuinness)


DISCOGRAFIA

Five Live Yardbirds (1964)
For Your Love (com os Yardbirds, 1965)
Fresh Cream (com o Cream, 1966)
Disraeli Gears (com o Cream, 1967)
Wheels of Fire (com o Cream, 1968)
Best of Cream (1969)
Goodbye Cream (1969)
Live Cream (1970)
Eric Clapton (1970)
Layla and Other Assorted Love Songs (com Derek and the Dominos, 1970)
Live Vol. 2 (com o Cream)
History of Eric Clapton
Eric Clapton & The Yardbirds
Eric Clapton at His Best (1972)
Eric Clapton's Rainbow Concert
Derek and the Dominões in Concert (1973)
461 Ocean Boulevard (1974)
There's One in Every Crowd,
E.C. Was Here (1975)
No Reason To Cry (1976)
Slowhand (1977)
Backless (1978)
Just One Night (1980)
Another Ticket (1981)
Time Pieces (The Best of Eric Clapton, 1982)
Time Pieces Vol. II
Money and Cigarettes
Strange Brew: The Very Best of Cream (1983)
The Pros and Cons of Hitchhiking (com Roger Waters, 1984)
Behind the Sun (1985)
August (1986)
Crossroads (caixa coletnea, 1988)
Journeyman (1989)
The Layla Sessions (com Derek and the Dominos, 1990)
24 Nights (1991)
Rush (trilha sonora)
Unplugged (1992)
From the Cradle (1994)
The Cream of Eric Clapton (1995)
The Very Best of Cream (1995)
Phenomenon (trilha sonora, 1996).
Pilgrim (1998)



FRANK ZAPPA

FRANK ZAPPA

FRANK ZAPPA



Frank Zappa foi um dos mais estranhos e geniais músicos do rock. Influenciado por vertentes tão diversas quanto música erudita e grupos vocais da década de 50, durante seus mais de 30 anos de carreira bastante produtiva revolucionou a maneira de fazer música moderna, deixando de lado os apelos do mercado facil das grandes gravadoras e levando o experimentalismo a limites ineditos. Alem de músico foi letrista como poucos, cinico e acido, nunca poupando ataques a nenhuma forma de poder estabelecido (fossem governo ou grandes gravadoras). Seu estilo foi frequentemente associado ao jazz moderno mas clássificar a música de Frank Zappa jamais sera das tarefas mais faceis.

Em 1964 se juntou a banda Soul Giants que seria a base para a formação dos Mothers (que teve posteriormente o nome modificado para Mothers of Invention). Gravando num pequeno estudio montado por Zappa a banda teve seu primeiro disco, Freak Out, lanado pela MGM em 1966. Com este disco Zappa provou que era possivel fazer música pop com qualidade. Imediatamente o álbum se tornou um cult na Inglaterra, embora sem grande repercussão nos estados unidos.

Os diversos álbuns que se seguiram (Zappa era um compositor e produtor maniaco e incansavel) viriam a mostrar o satirismo e experimentalismo que seriam marca registrada de Frank Zappa. Nem mesmo o clássico Sgt Peppers dos Beatles e poupado com o lançamento de We're Only in It for the Money (uma satira a Beatles, beatniks e movimento hippie). As influencias de música erudita ficam claras em álbuns como Lumpy Gravy (gravado com orquestra). A influencia de pop e experimentalismo ficam claros em álbuns como Cruising with Ruben & the Jets (cheio de arranjos vocais ao estilo doo-woop).

Em 1970 a banda Mothers of Invention seria desfeita para retornar alguns meses depois com novos vocalistas, Mark Volman e Howard Kaylan. Durante um show com os Mothers em 1971 Zappa foi empurrado do palco por um fa enlouquecido tendo de se recolher a um periodo entre camas de hospital e sua casa em que compos diversos álbuns, remontando seu selo independente para não sofrer pressões de gravadoras (cabendo apenas a distribuição a grandes nomes da industria da música). Em um outro show ocorreu o incendio que ficaria famoso nos versos da música Smoke on The Water da banda Deep Purple.

Ao final da década de 70 remontou a banda Mothers of Invention, assumindo os vocais e lanando seus álbuns de maior vendagem. Em seus ultimos anos alem de continuar compondo e gravando como nunca, cuidou de catalogar e relançar grande quantidade de seu material disponivel em discografia pirata.

No inicio da década de 90 Zappa divulgou que sofria de cancer, interrompendo suas apresentações ao vivo. Seu ultimo show ocorreu na Tcheçõeslosvaquia a convite do presidente Vaclav Havel, seu fa. Frank Zappa morreu em 1993.


CURIOSIDADES


O disco Freak Out foi o primeiro álbum duplo da historia do rock.

Zappa tem como um dos fas conhecidos o criador dos Simpsons, Matt Groening. Na Tchecoslovaquia, a música Plastic People, do disco Absolutely Free, transformou-se, no fim dos anos 60, num hino contra a opressão do antigo regime ditatorial.

Foram influencias na música de Zappa os compositores contemporaneos Edgar Varese, Stravinsky, dentre outros, e grandes elementos do jazz, como Charles Mingus.

O disco Were only... (1967) teve sua capa original censurada a pedidos de Paul McCartney, ja que era uma referencia crítica a capa do magnifico Sgt. Peppers. Alias, o proprio Paul McCartney confessou ter tido influencias do álbum Freak Out (66) na montagem do Sgt. Peppers.


GRANDES FRASES


"Historicamente os músicos sentem-se feridos quando a audiencia se mostra insatisfeita. Nos não nos sentimos assim. Nós dizemos para a audiencia se danar. "
(Frank Zappa)

"Depois que comecei a usar computadores na música sai para tocar ao vivo com músicos humanos. Vivi o suficiente para me arrepender."
(Frank Zappa)

"Drogas são horriveis. Elas acabam com seu coração, seu figado e seu cerebro. E o pior de tudo e que deixam você igual aos seus pais."
(Frank Zappa)

"Jornalismo musical é gente que não sabe escrever entrevistando gente que não sabe falar pra gente que não sabe ler."
(Frank Zappa)

"Eu gosto de fazer coisas que são teoricamente impossiveis e faze-las funcionar."
(Frank Zappa)

"Esporte e droga. Pratique guitarra."
(Frank Zappa)


DISCOGRAFIA


Freak Out! (1966)
Absolutely Free (1967)
Lumpy Gravy (1967)
We'Re Only In It For The Money (1968)
Cruising With Ruben And The Jets (1968)
Uncle Meat (1969)
Mothermania (Best Of, 1969)
Hot Rats (1969)
Burnt Weeny Sandwich (1969)
Weasels Ripped My Flesh (1970)
Chunga'S Revenge (1970)
Fillmore East, June 1971 (1971)
200 Motels (1971)
Just Another Band From L.A. (1972)
Waka/Jawaka (1972)
The Grand Wazoo (1972)
Over-Nite Sensation (1973)
Apóstrophe(') (1974)
Roxy And Elsewhere (1974)
One Size Fits All (1975)
Bongo Fury (Com Captain Beefheart, 1975)
Zoot Allures (1976)
Zappa In New York (1978)
Studio Tan (1978)
Sleep Dirt (1979)
Sheik Yerbouti (1979)
Orchestral Favorites (1979)
Joe'S Carage, Act 1 (1979)
Joe'S Carage, Acts 2 & 3 (1979)
Tinseltown Rebellion (1981)
Shut Up 'N' Play Yer Guitar (1981)
You Are What You Is (1981)
Ship Arriving Too Late To Save A Drowning Witch(1982)
The Man From Utopia (1983)
Baby Snakes (1983)
London Symphony Orchestra, Vol 1 (1983)
The Perfect Stranger (1984)
Them Or Us (1984)
Thing-Fish (1984)
Francesco Zappa (1984)
Fz Meets The Mothers Of Prevention (1985)
Dões Humor Belong In Músic? (1986)
Jazz From Hell (1986)
London Symphony Orchestra, Vol. 2 (1987)
Guitar (1988)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 1 (1988)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 2 (1988)
Broadway The Hard Way (1988)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 3 (1989)
The Best Band You Never Heard In Your Life (1991)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 4 (1991)
Make A Jazz Noise Here (1991)
Beat The Boots 1 (9 Cds, 1991)
Beat The Boots 2 (8 Cds, 1992)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 5 (1992)
You Can'T Do That On Stage Anymore, Vol. 6 (1992)
Playground Psychotics (1992)



Jeff Beck

Jeff Beck



Quando se fala em Jeff Beck, e comum se ouvir desde "e o guitarrista mais criativo que existe" até "seu ego é maior que sua habilidade". Amado por uns, odiado por outros, Jeff marcou seu nome na historia da guitarra empunhando suas Stratos e Gibsons tocando desde "fusion" ate Rock and Roll, passando por blues, funk e os mais diversos estilos de música.

Nascido em 1944, na Inglaterra, com cerca de 12 anos, Jeff, já apaixonado por música (gosto vindo de seu pai), constroi sua primeira guitarra e, usando um rádio como amplificador, comeca sua saga.

Com 15 anos, toca em sua primeira banda, que levou o nome de Deltones. Logo depois viria a entrar no Tridents, banda de R&B, mas só começou a ser conhecido quando substituiu Eric Clapton no The Yardbirds, banda bastante conhecida por ter revelado tres excelentes guitarristas (Clapton, Beck e Jimmy Page). Infelizmente, Jeff permaneceu pouco tempo na banda, gravando apenas tres álbuns em dois anos. São eles: "For Your Love", de 1965; "Having A Rave Up" e "Over Under Sideways Down" de 1966.

Busçando voos mais altos, Jeff trabalha com Jimmy Page, Jim McCarty e Keith Moon. Desta união, saiu a clássica canção "Becks Bolero".

Em 1967, Jeff forma o Jeff Beck Group, juntamente com Rod Stewart (vocal) e Ron Wood (baixo, atual Rolling Stones). O Jeff Beck Group gravou quatro álbuns: "Truth" (1968), "Beckola" (1969), "Rough and Ready" (1971) e "Jeff Beck Group" (1972). A música mais conhecida do grupo e "People Get Ready", uma balada que até hoje pode ser ouvida nas rádios, e até era um clássico do extinto Clássicos MTV.

A proxima banda de Jeff foi o BBA, formado por Beck, Tim Bogert (baixo) e Carmine Appice (bateria). Infelizmente, o BBA gravou apenas o álbum "Beck, Bogert and Appice", de 1973. Havendo desentendimentos na banda, cada um tomou seu rumo.

Cansado de problemas com bandas, Jeff decide seguir carreira solo, podendo fazer o que bem entender. O primeiro álbum solo levou o nome de "Blow by Blow", com participação de George Martin (produtor dos Beatles). O disco teve excelente repercussão, chamando a atenção principalmente de guitarristas que ficaram impressionados com o que Jeff podia fazer.

Em 1975, juntamente com o tecladista Jan Hammer (Mahavishnu Orchestra), Jeff lanou o clássico "Wired", considerado um dos melhores álbum de guitarristas solo. O álbum que veio a seguir foi "There and Back", que não repetiu o sucesso dos anteriores mas ainda trazia Jeff mostrando todo o seu potencial.

Após "There and Back", Jeff aposentou a palheta. Não parou de tocar, ao contrário, continuou, mas desta vez usando apenas os dedos, algo inedito até então. Em 1989, Beck se juntou ao baterista Terry Bozzio (ex-Frank Zappa) e o tecladista Tony Hymas, para gravar o álbum "Guitar Shop", que obteve certo sucesso comercial e possuidor de uma das melhores capas dentro do Rock.

Em 1991, foi lançado o tributo "Beckology". Dois anos depois o álbum "Crazy Legs", que não teve grande repercussão. Foi lançada em 1995 a coletanea "Best Of Beck", que traz grandes momentos de sua carreira. Em 1999, saiu o álbum "Who Else", onde Jeff foi influenciado pelo techno e música eletrônica não obtendo grandes resultados.

Ao longo de sua carreira, Jeff tocou com Stevie Wonder, Stanley Clarke, Cozy Powell, Vanilla Fudge, Rod Stewart, Tina Turner, Mick Jagger, Jon Bom Jovi, Buddy Guy, Roger Waters, Kate Bush, Brian May entre muitos outros.


DISCOGRAFIA

No Yardbirds:
"For Your Love" - 1965
"Having A Rave Up" - 1966
"Over Under Sideways Down" - 1966

No Jeff Beck Group:
"Truth" - 1968
"Beckola" - 1969
"Rough and Ready" - 1971
"Jeff Beck Group" - 1972

No BBA:
"Beck, Bogart, and Appice" - 1973

Solo:
"Blow By Blow" - 1975
"Wired" - 1976
"There and Back" - 1980
"Flash" - 1985
"Guitar Shop" - 1989
"Beckology,"(career compilation) - 1991
"Crazy Legs" - 1993
"Best of Beck" - 1995
"Who Else" - 1999

Stevie Ray Vaughan

Stevie Ray Vaughan



Stevie Ray Vaughan nasceu em Dallas, Texas, começando a tocar guitarra desde cedo inspirado pelo irmão mais velho Jimmie Vaughan. Aos 17 anos abandonou a escola para se dedicar exclusivamente a música, com a banda Cobras. Em 1975 formaria a banda Triple Threat com o vocalista Lou Ann Barton, o baixista Jackie Newhouse e o baterista Chris Layton. Com Stevie Ray Vaughan assumindo os vocais a banda assumiu o nome Double Trouble, inspirado em uma canção de Otis Rush.

Em 1982 a banda Double Trouble foi descoberta nos bares do Texas por David Bowie, sendo logo convidada a participar do seu próximo álbum (Let's Dance) e ganhando em troca acesso ao estudio para gravação de algumas músicas da banda que virariam o seu primeiro álbum, Texas Flood, lançado em 1983. O álbum foi aclamado por críticos de blues e rock. Os álbuns que se seguiriam, Couldn't Stand the Weather (de 1984) e Soul to Soul (de 1985) seriam sucessos absolutos de publico e crítica.

Em meio a problemas do guitarrista com alcool e cocaina foi lançado o seu álbum de maior sucesso, o duplo ao vivo Live Alive em outubro de 1986. Após a turne subsequente Vaughan passou por clinicas de reabilitação, voltando a ativa em 1988 com o álbum In Step que lhe valeu um premio Grammy.

Em 1990 gravou o álbum Family Style com o irmão Jimmie Vaughan. Em agosto de 1990, em meio a turne com o irmão e tendo acabado de tocar em um show, em que se apresentaram como convidados, entre outros, Eric Clapton, Robert Cray e Buddy Guy, Stevie Ray Vaughan tomou um helicoptero rumo a Chicago, que caiu logo após a decolagem. O álbum foi lançado apenas alguns meses após a sua morte.

Em 1991 foi lançado seu álbum postumo The Sky is Crying, contendo sobras de estudio escolhidas por Jimmie Vaughan. Mais tarde foi lançado o álbum ao vivo In the Beginning, contendo uma gravação ao vivo da banda Double Trouble em 1980.


GRANDES FRASES

"Quando a maioria de nos toca um 12-bar solo fazemos umas duas variações e o resto e repetição. Com Stevie Ray Vaughan não e assim. Quanto mais ele toca melhor ele toca."
(B. B. King)